Rua Benjamin Pedroso da Silva
Antiga Rua Para nº 1245
Cuiabá - MT
(65) 3641-2333
Untitled Document

PNCQ:

 

O QUE É O PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE - PNCQ

1.1 - HISTÓRICO
O PNCQ teve início em 1976, durante a realização do V Congresso Brasileiro de Análises Clínicas, em Belo Horizonte - MG, onde foi distribuído a alguns laboratórios um soro liofilizado para determinadas dosagens em bioquímica.
Posteriormente, em 1980, foi firmado um contrato com uma empresa, terceirizando o PNCQ por 5 anos. Em 1985, a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas assumiu a administração do Programa Nacional de Controle de Qualidade, dando início a uma nova fase de crescimento e modernização no Programa, até tornar-se o maior e melhor existente no país.
Com a introdução de novos materiais destinados ao Controle Externo e Interno de Qualidade dos Laboratórios Participantes, planilhas de resultados, procedimentos informatizados de inserção de dados num Centro de Processamento de Dados, essas iniciativas tornaram mais ágeis as avaliações obtidas pelos Laboratórios Participantes.
Pela divulgação efetuada e pela agilização dos resultados houve um aumento considerável no número de participantes, crescimento em expansão até a presente data.
Durante os Congressos Brasileiros de Análises Clínicas, é realizada uma Reunião Anual dos Laboratórios Participantes para a discussão dos problemas comuns, além de sugestões para a melhoria do PNCQ, como a formação de uma Equipe Técnica de Assessorias, para ajudar no desenvolvimento de novas amostras-controle, oferecer assistência técnico-científica aos Laboratórios Participantes, dar cursos no País e no exterior, sobre Controle de Qualidade, Garantia de Qualidade e Gestão da Qualidade Total.
A Equipe Técnica de Assessores é formada de profissionais com amplos conhecimentos na especialidade, o que enriquece o valor do PNCQ no meio científico nacional e internacional.

1.2 - OBJETIVOS
1. Divulgar e implantar em todo o Território Nacional o Programa de Controle Externo da Qualidade - PRO-EX ou Teste de Proficiência (TP), destinado aos Laboratórios Clínicos, monitorando seus desempenhos;
2. Obedecer às normas internacionais preconizadas pela Organização Mundial de Saúde - OMS, pela Federação Internacional de Química Clínica - IFCC e Guia IEC ISSO 43, no planejamento, composição, implantação e avaliação, relativa aos testes de proficiência;
3. Fornecer aos Laboratórios Participantes amostras-controle necessárias para a avaliação da qualidade dos analitos examinados;
4. Promover os Laboratórios Participantes de um questionário de perguntas e respostas sobre as especialidades de Análises Clínicas, destinado à educação continuada do pessoal do Laboratório;
5. Fornecer instruções técnicas aos Laboratórios Participantes, sobre a instalação do Controle Interno da Qualidade - PRO-IN, assim como aqueles referentes às análises a serem realizados com as amostras-controle do Controle Externo de Qualidade - PRO-EX.
6. Elaborar e evitar originais de diversos formulários para os registros de rotinas nos Laboratórios Participantes: controle de temperaturas de equipamentos, de condutividade de água reagente, etc;
7. Elaborar apostilas sobre assuntos técnico-científicos, administrativos ou de controle da qualidade para auxiliar o Laboratório Participante na sua educação continuada;
8. Incentivar os Laboratórios Participantes a adquirirem materiais certificados, como termômetros, condutivímetros e pesos, para a calibração e aferição, possibilitando a verificação da conformidade em seus equipamentos e instrumentos;
9. Avaliar os resultados dos Laboratórios Participantes, calculando a média de consenso, desvio padrão e coeficiente de variação e desvio relativo à média, assim como, a avaliação mensal, trimestral e anual, fornecendo-lhes uma pontuação e classificação;
10. Fornecer aos Laboratórios Participantes, de acordo com as normas próprias, o Selo de Qualidade, o Certificado anual de participação no PNCQ, os Certificados de Excelência e Assessoria Técnico-Científica;
11. Incentivar e auxiliar os Laboratórios Participantes a preparar os procedimentos para a implantação de um sistema da qualidade, compatível com o seu porte e complexidade.

1.3 - CONCEITUAÇÃO

O PNCQ, atendendo às recomendações de organismos internacionais a OMS - Organização Mundial de Saúde, a IFCC - International Federation of Clinical Chemistry and Laboratory Medicine, a COLABIOCLI - Confederación Latinoamericana de Bioquímica Clínica, o ISSO IEC Guia 43 da International Standard Organization e a NCCLS - National Committee for Clinical Laboratory Standards, está apto a oferecer um programa de Controle Externo da Qualidade ou Teste de Proficiência, que possua por suas normas, freqüência e credibilidade, aceitação nacional e internacional.
O atendimento às normas desses organismos e a participação ativa de seus Assessores em reuniões internacionais, permite ao PNCQ uma constante atualização, mantendo-se nivelado com os melhores programas existentes em outros países.
Participam do PNCQ, laboratórios clínicos privados e estatais, inclusive universidades, serviços públicos civis e militares, além de laboratórios de outros países, o que comprova o seu conceito atual nos meios científicos do País e de outras nações

 


2010 INAC © Copyright Todos os Direitos Reservados